Presos não precisaram mais que as mãos para destruir suas celas

De acordo com o próprio delegado de Palmital, em Santa Luzia, a 27 quilômetros de Belo Horizonte, as paredes da galeria central da delegacia estavam tão podres que os homens puderam usar as próprias mãos para destruir as celas. Mas não conseguiram fugir e os mais de 80 presos, ocupando sete celas, começaram uma rebelião nesta tarde.Segundo o delegado Islande Batista, os amotinados destruíram as paredes das celas e estão no pátio da delegacia. Os presos devem ficar no pátio até amanhã, para que as celas sejam reformadas. A delegacia tem 128 presos, distribuídos em onze celas. Uma delas abriga adolescentes e outra é para mulheres.

Agencia Estado,

06 de outubro de 2003 | 15h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.