Presos novos suspeitos de ligação com Andinho

Numa operação conjunta, policiais civis e militares prenderam, na zona rural de Ribeirão Grande, a 240 quilômetros de São Paulo, Joaquim Pereira Leite, o "Joaquinzão", de 46 anos, suspeito de ter ligações com a quadrilha de Wanderson Nilton Paula Lima, o "Andinho", de 23 anos. "Joaquinzão" entrou na mira da polícia depois de ter passado, no comércio de Capão Bonito (SP), um cheque emitido por uma mulher de Campinas que havia sido vítima de um assalto supostamente praticado pelo bando de Wanderson. Ele foi preso em uma chácara do Bairro do Maciel, onde a polícia encontrou uma espingarda de caça, calibre 28. Já em Capão Bonito, no bairro de Vila Aparecida, os policiais prenderam Agnaldo Vieira, de 32 anos, comparsa de "Joaquinzão". Ele estava na posse de uma pistola semi-automática de calibre 9 milímetros, apropriada para uso com silenciador. A numeração tinha sido raspada. Vieira disse que a pistola pertencia ao comparsa, que lhe pedira que a guardasse. "Joaquinzão" negou-se a informar a origem da pistola. Segundo o delegado seccional de Itapeva, Hamilton Gianfratti, esse tipo de arma não é usado por bandidos comuns. Ele entrou em contato com a Delegacia Especializada Anti-Seqüestros (Deas) de Campinas para a realização de perícia na pistola, pois acha que a arma pode ter sido usada em crimes praticados naquela cidade. "Vamos ver se descobrimos mais alguma coisa através dos exames de balística", disse. Vieira foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma. A polícia encaminhou à juíza criminal de Capão Bonito, Tânia Magalhães, pedidos de prisão temporária para os dois suspeitos. "Precisamos deles para dar seqüência às investigações", disse Gianfratti.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.