Presos planejavam morte de juiz em cadeia de Miguelópolis

Uma denúncia de que um grupo de presos pretendia assassinar o juiz Caio César Melluzo durante uma visita à Cadeia de Miguelópolis, na região de Ribeirão Preto, fez com que a polícia apreendesse estiletes e drogas em uma cela, numa revista sigilosa feita na última sexta-feira. Os presos estariam insatisfeitos com o rigor das penas impostas pelo juiz, e também com as concessões de benefícios. Quatro presos suspeitos foram transferidos para a Cadeia Guanabara, de Franca.Segundo o delegado de Miguelópolis, Carlos Amir Pessoa, quando houve a denúncia, há um mês, um preso foi transferido imediatamente para Franca. O juiz suspendeu suas visitas mensais à cadeia. Com o auxílio de agentes da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), de Franca, a revista minuciosa encontrou os objetos na cela, incluindo estiletes com até 75 centímetros. Os carcereiros também poderiam ser alvos dos detentos.A polícia não tem indícios de que os presos suspeitos de ameaçar o juiz pertençam a alguma facção criminosa. A cadeia, que tem capacidade para 12 presos, tinha 38 até sexta-feira. Agora está com 33, segundo Pessoa, que informou ainda que 13 deles já estão condenados e aguardando uma transferência para uma penitenciária estadual. Os presos transferidos para Franca são Néder Luís Rodrigues da Silva, Edmur Neves, Carlos Alberto Santana da Silva e Róbson Luís de Oliveira.

Agencia Estado,

14 de abril de 2003 | 15h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.