Presos quebram janelas e fazem tumultos em CRP de Presidente Bernardes

Presos do Centro de Readaptação Penitenciária (CRP) de Presidente Bernardes, no oeste do Estado, voltaram a fazer tumulto e a quebrar vidros das janelas da celas no fim de semana. O tumulto começou ao meio-dia do sábado, quando os detentos começaram a gritar e a bater nos vidros, inicialmente em intervalos de duas horas, depois das 18 às 21 horas.Na tarde deste domingo, novamente houve gritos e tentativas de quebrar os vidros, o que obrigou a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) a decidir por uma blitz que seria feita à noite. A intenção era fazer um levantamento dos estragos, revistar celas e retirar isqueiros, cujo fogo é usado pelos detentos para enfraquecer a resistência dos vidros e quebrá-los a pancadas.Celulares e maconhaNa noite de sábado, 30 homens do serviço de contenção da SAP entraram na Penitenciária 2 de Lavínia, na Noroeste do Estado, para retirar o detento Joel Pereira Santos Filho, o JP. Na blitz feita na cela de JP, os agentes apreenderam 3 telefones celulares e cerca de 40 gramas de maconha.A invasão se deu porque teria partido de um dos celulares a ordem do PCC para assassinar o agente Eduardo Rodrigues, 41, que trabalhava na Penitenciária Feminina de Santana, morto sábado com quatro tiros.Os presídios das regiões Oeste e Noroeste decidiram não participar da greve com medo de que novas rebeliões pudessem trazer prejuízo maior ao sistema, informaram os agentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.