Presos rebelados em Mogi Mirim

Os cerca de 180 presos da cadeia de Mogi Mirim, na região de Campinas, começaram uma rebelião no início da noite deste domingo. Eles praticamente destruíram todas as instalações das alas A e B, além de colocar fogo nos colchões e no prédio. A maioria dos presos está, agora, no pátio. Eles ameaçam destruir outras alas da cadeia se as suas reivindicações não forem atendidas.A polícia não soube informar se há reféns ou detentos feridos. Não existe também informação sobre se alguns dos detentos conseguiram fugir durante o motim. A tropa de choque da Polícia Militar de Campinas já foi chamada e está se dirigindo para Mogi Mirim. Os presos querem a presença de um juiz corregedor e da imprensa para acabar com a rebelião.A superlotação teria sido o principal motivo da rebelião. A cadeia, que tem capacidade para 45 detentos, recebeu no último mês outros presos das cidades vizinhas. A cadeia de Mogi Mirim fica no centro da cidade. A rebelião mais uma vez colocou em pânico os vizinhos, que ouviram tiros dentro do prédio. Há um mês, quando houve um princípio de fuga, os moradores fizeram um abaixo-assinado pedindo a transferência da cadeia para outro local, mas não tiveram êxito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.