Presos rebelados mantêm carcereiro como refém na Bahia

Os 256 detentos do presídio do município de Teixeira de Freitas no extremo-sul da Bahia continuam rebedos e mantendo o carcereiro Atílio Bispo como refém. Eles se recusam a libertá-lo até que sejam atendidas a lista de reivindicações apresentas. Os presos querem sala para visita íntima, televisão, revisão das penas e que não haja violência quando o movimento forencerrado. O presídio está cercado por um grupo de 50 policiais militares. O abastecimento de água, energia elétrica e a comida foram cortados pela PM, responsável pelas negociações para controlar a rebelião. A polícia está preocupada com o fato de o carcereiro sofrer de hipertensão e correr o risco de ter problemas saúde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.