Presos são acorrentados pela polícia no Espírito Santo

Presos do Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vila Velha, na Grande Vitória, foram acorrentados sob o argumento de que isso evitaria uma fuga em massa e garantiria a segurança de policiais que trabalham na unidade. Com a superlotação da carceragem, os presos estavam soltos dentro do DPJ. Os policiais alegam que não havia algemas disponíveis para prendê-los. A sensação de insegurança no DPJ se intensificou depois que um túnel cavado por detentos foi descoberto. Também houve uma tentativa, por parte de presos, de tomar a arma de um policial. Por causa da superlotação, os policiais no DPJ de Vila Velha agora ficam em um pátio fora do prédio. Devido às condições precárias, a Justiça deu prazo até 4 de maio para o governo do Espírito Santo transferir os presos dessa unidade. O Sindicato dos Policiais Civis informou que uma ordem de prisão foi expedida na noite desta sexta-feira, 14, contra três dirigentes da entidade, responsabilizados pela adoção da medida de acorrentar os presos. A prática teria sido caracterizada como uma forma de tortura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.