Sinpol/Divulgação
Sinpol/Divulgação

Presos são amarrados em cordas por falta de algemas no interior do RN

Fato foi registrado em delegacia da cidade de Macau, que mantém 30 pessoas detidas

Anna Ruth, Especial para O Estado

11 de março de 2014 | 16h36

NATAL - No interior do Rio Grande do Norte, o cenário dramático das delegacias de polícia, superlotadas, chegou ao ponto dos presos serem amarrados em cordas e mantidos em corredores. O fato foi registrado na Delegacia de Polícia da cidade de Macau (a 180 quilômetros da capital do Estado), que possui 30 presos.

Segundo denúncia do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), os presos estão amarrados a cordas por falta de algemas. A situação pode se complicar ainda mais porque a direção do Sinpol ameaça pedir a retirada de todos os agentes da Polícia Civil caso a Delegacia-Geral não adote providências para regularizar a situação.

A vice-presidente do Sinpol, Renata Pimenta, definiu como "degradante" a situação. O grande temor dos policiais civis é a fuga em massa dos presos, já que a prisão em cordas, somada à superlotação, torna a segurança da delegacia ainda mais vulnerável.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio Grande do Nortedelegacia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.