Presos se rebelam destroem sete celas de delegacia de Belo Horizonte

Policiais civis e militares conseguiram controlar na manhã desta segunda-feira, 10, um princípio de rebelião na carceragem da Delegacia de Furtos e Roubos, no bairro Barro Preto, região centro-sul de Belo Horizonte. Por volta das 8h30, enquanto conferia as celas para a troca de turno, o agente Humberto Pereira da Silva, um dos seis policiais de plantão, percebeu que o cadeado da cela 12 havia sido cerrado. Ele foi dominado pelos presos, que tomaram sua arma e as chaves para abrir outras seis celas. O policial ficou sob a mira do próprio revólver durante quase uma hora, mas conseguiu retomar a arma e escapar dos rebelados. O motim foi controlado após a chegada do Grupo de Resposta Especial (GRE) da Polícia Civil. O grupamento de elite lançou bombas de gás lacrimogêneo e de efeito moral para dispersar os amotinados. Homens do Batalhão de Eventos da Polícia Militar cercaram a delegacia. A operação contou com o apoio de um helicóptero da PM. Os presos puseram fogo nos cobertores e sete celas ficaram destruídas. No final da manhã, cerca de 60 detentos foram levados para o pátio da delegacia. De acordo com a polícia, 50 seriam transferidos durante a tarde para duas penitenciárias da região metropolitana da capital mineira. Não foi registrada nenhuma fuga durante o tumulto. Com capacidade para 80 presos, a Delegacia de Furtos e Roubos abriga atualmente 450 homens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.