Presos se rebelam e mantém refém em Santo André

Os 330 presos da Cadeia Pública de Santo André estão rebelados desde o início da madrugada de hoje e mantém o carcereiro Múcio de Assis Ladeira, de 30 anos, como refém.No final da noite de ontem, os presos conseguiram estourar os cadeados e derrubar parte das grades, mas foram impedidos de fugir pela equipe policial que estava de plantão. Os detentos aproveitaram a distração do carcereiro e pegaram-no como refém, mas não o machucaram."Eles estão revoltados porque nós localizamos um túnel e evitamos uma fuga em massa. Hoje, eles tentaram um ´cavalo-doido´ , não conseguiram e tomaram o carcereiro como refém", afirmou o delegado seccional de Santo André, Dejar Gomes Neto, que trabalha nas negociações. "Cavalo-doido" é um termo utilizado pela polícia quando os presos de uma cela correm todos, ao mesmo tempo, contra as grades, geralmente já serradas, e tentam derrubá-las.AssistênciaOs presos reivindicam assistência médica e transferência. Os 330 detentos estão distribuídos em 18 celas, que juntas, possuem capacidade de abrigar no máximo 98 pessoas."Com a chegada da imprensa, os ânimos já se acalmaram entre os presos, que aguardam a chegada de uma juíza corregedora", disse o delegado.A polícia acredita que a rebelião terminará com a chegada da juíza Fábia Beatriz Gonçalez, que já está a caminho. Os rebelados, armados apenas de estiletes, atearam fogo em colchões e roupas velhas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.