Presos se rebelam em Mogi das Cruzes

Uma tentativa de fuga na Cadeia Pública de Mogi das Cruzes, município da Grande São Paulo, deu início a uma rebelião de presosno começo da madrugada desta terça-feira. Por volta da 0h15, um grupo de 40 presos tentou fugir pela porta principal da carceragem, que dá acesso ao Distrito Policial. Na ação, um carcereiro identificado como Rogério e um perito criminal conhecido como Murata foram baleados nos braços por um dos presos que estava armado. Ambos foram levados para o Pronto-socorro da Santa Casa de Mogi das Cruzes, onde passam bem.De acordo com informações da polícia, o preso autor dos disparos também foi baleado e está morto no interior de uma das celas.Os policiais não conseguem entrar na carceragem, pois os detentos, que atearam fogo em colchões, continuam armados. Pelo menos 20 viaturas do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (GARRA), de Mogi das Cruzes, e outras 10 do 17º Batalhão da Polícia Militar cercam toda a cadeia, localizada no Distrito de Monte Líbano. A Cadeia Pública de Mogi das Cruzes possui 11 celas, construídas para abrigar no máximo 60 presos, mas, atualmente, mais de 400 homens ocupam a carceragem. Apesar de não haver reféns em poder dos presos, a polícia segue negociando com os rebelados para encerrar a rebelião. Os presos exigem a presença de um juiz corregedor.

Agencia Estado,

10 de abril de 2001 | 02h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.