Presos suspeitos de morte na fila do INSS em Campinas

Duas pessoas foram presas em Campinas acusadasdo assassinato do escriturário Alex Barbosa Lopes, de 42 anos, encontrado gravemente ferido na fila do Instituto Nacional deSeguro Social, no centro da cidade. Segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública, o caso está sendo investigado como briga de torcidas. Lopes era pontepretano e teria sido espancado até a morte, na última terça-feira, por um grupo de torcedores do Guarani.A vítima chegou a ser socorrida, mas morreu no Hospital Beneficência Portuguesa de politraumatismo. Silvio Amaral,membro da torcida uniformizada Fúria Independente, do Guarani, foi detido ontem pela Polícia Civil de Campinas comosuspeito do crime. Ontem (16), os policiais prenderam outro acusado, José Ricardo de Andrade. Mais cinco pessoas, inclusiveduas mulheres, teriam participado do ataque. Ninguém do Setor de Homicídios e Proteção a Pessoa (SHPP), da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) deCampinas, falou sobre o caso, alegando sigilo nas investigações. A delegada titular do SHPP, Denise Margarido, não foiEncontrada hoje para comentar os procedimentos policiais. A Secretaria informou que foi decretada prisão temporáriacontra os dois acusados.Lopes seria integrante da Torcida Jovem da Ponte Preta. Ele estaria com um boné do clube junto a outro torcedor, quevestia uma camiseta do time campineiro. O escriturário seguia com o amigo para a fila da INSS, onde pretendia se informar sobreaposentadoria por invalidez, quando teriam sido atacados pelos torcedores bugrinos. O outro rapaz conseguiu fugir e Lopes, gravemente ferido, correu junto à fila para pedir socorro. Amaral negou o crime.Ele teria alegado que estava no trabalho no horário em que ocorreu Lopes foi vítima do ataque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.