Presos têm dinheiro desviado por funcionários de presídio

Presos da Penitenciária de Presidente Prudente, no interior de São Paulo, foram roubados por oito funcionários do presídio que estão sendo acusados de apropriar cerca de R$ 40 mil - dinheiro este desviado dos ganhos obtidos pelos presos nos trabalhos feitos dentro da prisão.Investigações do Ministério Público constataram que o desvio ocorria desde 1998. Oito funcionários que cuidavam da contabilidade da administração do pecúlio - dinheiro obtido pelos presos no trabalho feito na prisão - são acusados de falsificar recibos, pedidos e assinaturas para desviar os recursos em proveito próprio.Eles faziam todas as movimentações de caixa, como depositar, sacar e transferir recursos das contas dos presos. Recibos falsos eram feitos para dar baixa nas contas e enganar a administração do presídio. Parte dos salários pagos pelas empresas também não era repassada aos presos.O desvio só foi descoberto no Natal de 2003, quando os detentos foram retirar seus recursos para passar o feriado em casa e constataram que não havia dinheiro suficiente para as viagens. Na ocasião, havia sumido R$ 3.600 do que estava em caixa.Uma auditoria feita no final do ano passado constatou que chega a R$ 40 mil o total de recursos desviados dos detentos, valor equivalente a dois meses de trabalho de todos os detentos que trabalham na unidade prisional.O caso espera julgamento da Justiça, que, enquanto não sai, permite que os oito servidores estaduais continuem trabalhando no sistema penitenciário.Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) se ficar comprovado que os servidores se apropriaram dos salários dos presos, serão demitidos. Nenhum deles trabalha no mesmo presídio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.