Presos três seqüestradores de empresário de Salto

A policia de Sorocaba, município a 92 quilômetros de São Paulo, começou a desmontar, nesta quarta-feira, a quadrilha responsável pelo seqüestro do empresário Roberto Benito Júnior, de 35 anos, residente em Salto, que ficou 119 dias em cativeiro. Dois dos integrantes do bando foram presos, e outros três, já identificados pela polícia, estavam sendo procurados no final da tarde desta quarta.Segundo o delegado seccional de Sorocaba, Everardo Tanganelli Júnior, que comanda a investigação, o grupo começou a cair com a prisão de Wanderley José da Silva, de 33 anos, morador do bairro Nova Sorocaba. Em sua residência, que fica a alguns quarteirões de um orelhão utilizado para fazer contato com a família, foram encontradas 30 notas de US$ 100,00 com os números de série das cédulas usadas para pagar o resgate.O empresário foi libertado depois que a família entregou aos seqüestradores US$ 1 milhão. Wanderley, preso de manhã, entregou outro componente do banco, o doleiro Osman Hassan Issa, acusado de ter ficado com parte do valor do resgate. Issa foi detido em sua residência, no Parque São Mateus, em São Paulo. Em seu escritório, a polícia encontrou US$ 10,5 mil. Essas notas também tinham os números de série do dinheiro do resgate.Foi apreendido também um veículo BMW, cuja origem está sendo investigada. Os dois detidos já tinham passagem pela polícia. Issa respondeu a processos por receptação e estelionato, e Wanderley foi processado por porte de arma. A esposa do seqüestrador, Neila de Oliveira Machado Silva, também foi detida para investigação. Outros dois integrantes do grupo são de Sorocaba estão sendo procurados. Todos fazem parte do "Bando do Mineiro", um seqüestrador que a polícia já identificou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.