Pressão de ex-presidente já rende apoios ao pupilo

Vereadores ligados a sindicatos fecham com favorito de Lula e ajudam a diminuir resistências dentro do PT paulistano

Iuri Pitta, O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2011 | 00h00

A articulação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na defesa da candidatura do ministro Fernando Haddad (Educação) começa a dar resultados. Inicialmente apoiado pela corrente Mensagem ao Partido, que representa cerca de 5% dos filiados na capital, o favorito de Lula já recebe apoio público de parlamentares de outros grupos, ao mesmo tempo que defensores de outras pré-candidaturas dão sinais de que a opinião do ex-presidente vai prevalecer.

Na volta aos trabalhos da Câmara Municipal, dois vereadores contaram aos colegas de bancada que fecharam apoio a Haddad. Não por acaso, Alfredinho e Francisco Chagas são vinculados ao sindicalismo: o primeiro foi metalúrgico no ABC e conversou com o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, antes de tomar a decisão. Ligado aos trabalhadores na indústria química, Chagas anunciou na quinta-feira sua adesão à pré-candidatura do ministro da Educação e à corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), da qual Lula faz parte. Ele fazia parte da corrente denominada PT de Lutas e de Massas (PTLM).

Segundo petistas, a mudança de Chagas anima os defensores de Haddad a construir mais pontes com PTLM, caso seu principal líder, Jilmar Tatto, não tenha forças para continuar na disputa interna. O PT de Lutas e Massas tem outros dois vereadores eleitos na capital paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.