Previdência antecipa benefícios para 145 mil vítimas das chuvas no Rio

Segurados em sete cidades que tiveram estado de calamidade reconhecido pelo Ministério da Integração Nacional receberão adiantado o equivalente a um benefício previdenciário no próximo mês

Edna Simão, O Estado de S. Paulo

19 de janeiro de 2011 | 18h24

BRASÍLIA - O Ministério da Previdência Social resolveu antecipar o pagamento de benefícios para mais de 145 mil pessoas que foram vítimas das chuvas em sete municípios do Rio de Janeiro. Esses brasileiros receberão adiantado o equivalente a um benefício previdenciário no próximo mês. Além disso, houve antecipação do cronograma dos depósitos da folha de pagamento de janeiro. O benefício será pago já no dia 25 de janeiro. Normalmente, são efetuados nos últimos cinco dias úteis do mês - ou seja entre 25 e 7 de fevereiro.

 

As medidas foram anunciadas nesta quarta-feira, 19, pelo ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, durante a solenidade de posse do novo presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Mauro Hauschild. "A Previdência Social não podia faltar aos seus segurados e vai ao encontro daqueles que estão vivendo este momento trágico", disse o ministro. "Gostaríamos de fazer mais, mas infelizmente as normas do INSS não permitem", afirmou.

 

O presidente do INSS explicou que, por enquanto, receberão a antecipação de benefício 145.605 segurados dos municípios de Bom Jardim, Nova Friburgo, Teresópolis, Areal, Petrópolis, São José do Vale do Rio Preto e Sumidouro - cidades que tiveram a situação de calamidade reconhecida pelo Ministério da Integração Nacional. A antecipação dos pagamentos de benefícios, que deve sair em aproximadamente 20 dias, deve acarretar em uma despesa extra no mês de R$ 114 milhões. Esse valor, no entanto, será descontado gradativamente do benefício do segurado em 36 parcelas com a carência de dois meses.

 

Hauschild destacou que antecipação de um benefício será feita automaticamente, ou seja, não é necessário procurar uma agência do INSS para fazer a solicitação. Além disso, serão atendidos apenas aqueles que recebem benefícios permanentes. No caso do auxílio-doença ou maternidade, que são temporários por exemplo, será feita uma análise específica da situação. "Caso ainda (os segurados) estejam com os requisitos preenchidos, receberão (antecipação de um benefício)", disse o novo presidente do INSS.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.