PRF: 61 são presos em 5 Estados

Em dois dias da operação Grau Zero, 22 foram detidos no RS; balanço de todo o País deve ser divulgado hoje

O Estadao de S.Paulo

30 de junho de 2008 | 00h00

Nos dois dias da operação Grau Zero, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a primeira ação nacional em busca de violadores da nova lei seca, ao menos 61 pessoas foram presas em cinco Estados - Rio Grande do Sul, Pernambuco, Goiás, Bahia e Minas Gerais -, que divulgaram números parciais. O Rio Grande do Sul foi o campeão, com 22 motoristas detidos, flagrados dirigindo com níveis alcoólicos superiores ao limite legal. O balanço completo será divulgado hoje, pelo Comando da Polícia Rodoviária Federal. Veja os principais pontos da Lei Seca No Sul, o número de prisões veio acompanhado de reforço na fiscalização - para a operação, a PRF convocou um efetivo 10% maior do que o de outros fins de semana. Com isso, cerca de 170 agentes trabalharam nas estradas federais gaúchas. A região que teve o maior número de ocorrências foi a metropolitana de Porto Alegre, com nove prisões. As barreiras da Brigada Militar prenderam outras 31 pessoas em estradas estaduais e municipais. Para o chefe do núcleo de Comunicação Social da Polícia Federal, Alessandro Castro, os condutores de veículos ainda não levam a sério a lei. "Talvez eles tenham achado que não era para valer", comentou Castro. "Espero que não persistam no erro". Em Pernambuco, dez pessoas ultrapassaram o limite de álcool e foram presas - outros três motoristas tiveram índices abaixo disso e foram somente multados. Das dez autuações com prisões, três ocorreram em Caruaru - um dos autuados, inclusive, gabou-se para os policiais que havia bebido, sozinho, um litro de uísque. Ele estava no veículo com mais quatro pessoas, incluindo sua mãe, e se envolveu em um acidente (leve) de trânsito.No Rio, quatro pessoas foram presas na operação federal, entre 22 horas de sábado e 5 horas de ontem. Desde a publicação da nova lei, no dia 20, sete pessoas foram presas e outras nove foram multadas nas rodovias federais fluminenses. Na Bahia, sete pessoas foram presas. Em Goiás, 12 foram detidas, segundo a PRF do Estado.Pela nova lei, com 2 decigramas de álcool por litro de sangue ou 0,1 miligrama por litro de ar expelido, o motorista flagrado já recebe multa de R$ 955, perde a carteira de habilitação e tem seu veículo apreendido. Caso o motorista seja flagrado dirigindo com 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou 0,3 miligramas por litro de ar expelido - equivalente a uma lata de cerveja -, ele responde criminalmente, sujeito à pena de 6 meses a 3 anos de prisão, com direito ao pagamento de fiança, que varia de R$ 301 a R$ 1.264.NAS CIDADESNa capital paulista, na quarta noite da operação Direção Segura, da Polícia Militar, cinco pessoas foram detidas por dirigir com níveis alcoólicos acima do permitido, entre as 106 que passaram pelo teste do bafômetro. Apenas uma pessoa, porém, continuou presa, no 50º Distrito Policial (Itaim Paulista), porque tinha antecedentes criminais. Desde o início da operação em São Paulo, na quinta-feira, a PM autuou 24 pessoas dirigindo com índices alcoólicos acima do limite legal.Segundo a PM, as blitze com objetivo específico de flagrar violadores da lei seca vão continuar na capital durante a semana. As ações se concentraram em ruas e avenidas das zonas norte e sul. Na operação de ontem, das 22 horas às 3h30, foram abordadas 256 pessoas, com vistoria em 107 carros e 23 motos. Em Brasília, seis motoristas foram detidos com nível de álcool no sangue acima do permitido na noite e madrugada de sábado para domingo. Eles tiveram o carro apreendido, foram multados e vão responder a processo de suspensão do direito de dirigir por um ano. Ao todo, 47 motoristas foram autuados por embriaguez desde o dia 21 até a madrugada de ontem no Distrito Federal. Desses, 14 foram levados às delegacias. No Rio, quatro motoristas perderam suas carteiras de habilitação na madrugada de sábado durante a Operação Tolerância Zero, da PM. O cerco aos infratores foi armado nas ruas da zona sul da cidade. VITOR HUGO BRANDALISE, ELDER OGLIARI, VANNILDO MENDES, ANGELA LACERDA e DANIELE CARVALHODÚVIDASQuais os limites de consumo de álcool para motoristas? A partir de 6 dg de álcool por litro de sangue ou 0,3 mg por litro de ar expelido, o motorista responde criminalmente. Para punições administrativas, são 2 dg por litro de sangue ou 0,1 mg por litro de arO motorista é obrigado a fazer o teste do bafômetro?Não. Caso se recuse, porém, o motorista recebe multa de R$ 955, perde a CNH e tem seu veículo apreendido. Em São Paulo, os delegados foram orientados a encaminhar suspeitos de dirigirem embriagados para o IML, onde terão de passar por exame clínico. Caso se recuse, segundo a PM, o motorista será preso por desobediênciaComo o motorista pode pagar a fiança, em caso de prisão?Para ser solto, alguém deve fazer um depósito na conta do Estado, na Nossa Caixa. Com o comprovante, o motorista é solto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.