Primeira prisão com bloqueador de celular será inaugurada em SP

O secretário da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo, Nagashi Furukawa, anunciou hoje a inauguração da Penitenciária de Segurança Máxima de Presidente Bernardes. Será a primeira no Estado a ter bloqueador para impedir a entrada do sinal de telefone celular. A unidade que será inaugurada amanhã é a segunda de segurança máxima no Estado e terá 160 vagas.Segundo Furukawa, serão transferidos para Presidente Bernardes os presos que estejam com a situação definida, que já tenham sido julgados e aptos a cumprir pena. Furukawa acredita que com o uso do aparelho que bloqueia o sinal de celular, os presos terão dificuldades de comunicação, o que vai levar a diminuição de rebeliões e outros tipos de crime. "Sem a facilidade de comunicação o poder de organização dos detentos será bem diminuído", afirmou.Furukawa garantiu que o aparelho não impede a população de usar celular nas imediações da penitenciária. "Apenas impede a entrada do sinal na penitenciária", explicou. Cada aparelho custa entre R$ 70 mil e R$ 120 mil. Está em andamento um processo de concorrência pública, do qual participam três empresas credenciadas pela Anatel, para fornecer o aparelho bloqueador. A disputa é no preço e na qualidade do aparelho.O secretário disse que a penitenciária de Presidente Bernardes não realizou licitação para adquirir o aparelho porque havia uma sobra de dinheiro relativo a construção. "Nas demais unidades haverá processo licitatório para a compra do aparelho bloqueador de sinal de celular", disse Furukawa.O secretário participou da assinatura de convênio, no Palácio dos Bandeirantes, que repassou R$ 110,8 milhões para a construção de mais 12 presídios no Estado. Serão 15 convênios: 13 com a Administração Penitenciária e dois com a Segurança Pública. Além de novas unidades, a verba também será utilizada para a construção de uma estação de tratamento de esgoto e para a instalação de circuito fechado de tevê em penitenciárias compactas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.