Primeiros 16 corpos de vítimas chegam a Recife

Chegada foi atrasada em virtude da demora na realização do trabalho de perícia inicial

AE

11 de junho de 2009 | 01h24

Os primeiros 16 corpos de vítimas chegaram no início da noite desta quarta-feira a Recife. Mas o desembarque, previsto inicialmente para às 15 horas, só ocorreu após as 21 horas. O trabalho inicial de perícia feito em Fernando de Noronha demorou além do previsto, segundo o comando militar. Esperava-se uma média de duas horas para análise de cada corpo e estão sendo necessárias três horas.

 

 

Veja também:

linkAir France substituirá sensores de velocidade em poucos dias

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

videoSubmarino francês no resgate à caixa-preta

video Vídeo: Operação de resgate

especialEspecial: Os desaparecidos do voo 447

especial Especial: Passo a passo do voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

blog Blog: histórias de quem quase embarcou

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo

 

 

No Instituto de Medicina Legal, localizado no bairro de Santo Amaro, região central da cidade, a movimentação em torno da chegada dos corpos era grande desde a manhã e chamou a atenção de quem mora, trabalha ou simplesmente estava passando pelo local. Um forte aparato montado pelas Polícias Civil e Militar impedia o acesso de curiosos e da imprensa à área ao redor do instituto.

 

Mas nem isso foi o suficiente para que homens, mulheres e até crianças subissem em cadeiras, muros e árvores, na tentativa de flagrar algum movimento no interior do IML. Algumas pessoas portavam câmeras. A expectativa é de que as primeiras informações sobre os corpos comecem a ser divulgadas na tarde desta quinta-feira.

 

O IML pernambucano também tem recebido diversos reforços. Nesta quarta-feira, chegaram sete peritos da Paraíba, sendo três auxiliares de legista, três odontolegistas e um médico legista. Outros dois peritos da Polícia Federal também desembarcaram na capital pernambucana para auxiliar os outros cinco que estão desde a semana passada no Estado.

 

Além disso, uma equipe composta por cinco legistas que vieram da França, entre eles um biólogo, um dentista e um especialista em reconstrução de impressões digitais, desembarcou na noite de segunda-feira passada. O grupo já coletou todo o material genético dos familiares dos 72 franceses que estavam a bordo. A equipe da França, segundo informações repassadas pela Polícia Federal, já teria atuado em identificação de vítimas do tsunami ocorrido na Ásia e diversas outras catástrofes.

 

O papel que os franceses terão nos trabalhos de identificação, no entanto, ainda não ficou claro. Reservadamente, um policial da PF afirma que o grupo vai orientar os peritos locais sobre técnicas modernas para garantir a obtenção do máximo possível de dados sobre os corpos, independentemente de exames de DNA.

Tudo o que sabemos sobre:
AIR FRANCECORPOSACIDENTE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.