Prioridade de Marina é participar de debates

Escolha se justifica pelo tempo de exposição, porque a candidata terá apenas 1min12s no[br]horário eleitoral gratuito

Roldão Arruda, O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2010 | 00h00

A equipe de coordenação da campanha da candidata do PV, Marina Silva, conclui amanhã o plano da fase de campanha oficial, que começa agora. Já se sabe, no entanto, que a prioridade serão os debates com os outros candidatos. Nos últimos dias a ex-senadora chegou a reduzir suas aparições públicas para se preparar melhor para os debates.

A escolha tem como justificativa o tempo de exposição. No horário da propaganda gratuita eleitoral, a partir de agosto, o tempo de Marina será pequeno -1min12s -, enquanto a petista Dilma Rousseff disporá de 10min25s e o tucano José Serra, de 7min6s. Nos debates, no entanto, o tempo será igual para todos.

Outro motivo para a escolha é a expectativa de que o número de debates em emissoras de TV e portais na internet aumente em relação a outros anos. Segundo assessores da campanha, é grande o número de consultas que recebem sobre debates.

O marqueteiro Paulo de Tarso, que já trabalhou para o PT e o PSDB, faz parte da equipe que ajuda a candidata a se preparar. "A Marina já é a pessoa mais bem preparada, com propostas bem definidas para o País", diz ele. "Ninguém quer mudar esse personagem. O objetivo é apenas melhorar seu desempenho."

Tarso atua ao lado de um grupo de intelectuais que trabalham voluntariamente para a ex-senadora. Entre eles estão o cientista político Luiz Eduardo Soares, que chefiou a Secretaria Nacional de Segurança Pública no início do primeiro governo Lula; o economista Ricardo Paes de Barros, especialista em programas sociais, e a socióloga Neca Setubal, da área de educação. Também integram o time os economistas Eduardo Gianetti e Paulo Sandroni, além do médico Eduardo Jorge, que já foi militante do PT e hoje está filiado ao PV.

"Queremos debate de ideias e propostas e não embate entre pessoas", diz Paulo Capobianco, coordenador da campanha. "A Marina está afiada."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.