Prisão de policiais da Cracolândia será decidida hoje

O juiz Benedito Roberto Garcia Pozzer, do Departamento de Inquéritos Policiais, decide hoje se decreta a prisão preventiva e a quebra do sigilo bancário e fiscal de cinco policiais do Denarc, acusados de comandar o tráfico de entorpecentes na Cracolândia, na zona central da cidade. São eles: Mauro Cézar Bartholomeu, José Carlos de Castilho, Hélio Carlos Barba, Alessandro Ramos da Silva e Guilherme Barbosa Palazzo.A aplicação das medidas foi requerida pelo delegado Osmar Ribeiro dos Santos, da 4ª Delegacia da Divisão de Crimes Funcionais e pelos promotores do Gaeco - Grupo de Atuação Especial contra o crime organizado, que filmara policiais em plena ação criminosa. O delegado encerrou e relatou o inquérito que foi remetido ontem à apreciação do juiz, após manifestação dos promotores do Gaeco, reiterando o requerido. Para o promotor do Gaeco, Alberto Andrade Neto, a prisão preventiva é necessária para a garantia da ordem pública e para assegurar a instrução do processo. Em liberdade, os cinco policiais poderiam coagir e ameaçar testemunhas e prejudicar a coleta da prova.Os policiais acusados tiveram prisão temporária por 15 dias, decretada pelo juiz-corregedor, Maurício lemos Porto Alves no último dia 14. Eles se apresentaram no dia seguinte e recolhidos ao presídio especial da Polícia Civil. Na hipótese do pedido de prisão preventiva, cujo o prazo é indeterminado, for indeferidos, todos estarão soltos neste domingo. Após a decisão do juiz Pozzer, o inquérito será encaminhado aos promotores do Gaeco para oferecimento de denúncia, por concussão, tráfico de entorpecentes e outros crimes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.