Prisões de Brasília não têm como ficar com Beira-Mar

O juiz da Vara de Execuções Criminais do Distrito Federal, Eduardo Henrique Rosas, disse nesta quinta-feira que as penitenciárias de Brasília não têm como abrigar o traficante Fernandinho Beira-Mar.Rosas afirmou que não há na capital federal um presídio de segurança máxima para receber presos da periculosidade de Beira-Mar.Além da incapacidade do sistema prisional, o juiz disse que não há respaldo legal para transferir o traficante para Brasília. Essas opiniões foram externadas durante reunião com integrantes da área de segurança pública do Distrito Federal ocorrida na quarta-feira, antes da transferência de Beira-Mar para Presidente Bernardes.O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, disse nesta quinta-feira que o problema de segurança não é exclusividade do Rio, mas nacional. "A federação em si é que fica em risco", afirmou.Marco Aurélio disse que receia um pouco o uso das Forças Armadas na área de segurança pública. "Eu creio que, para se chegar a esse ponto, a situação se mostrou muito extravagante", afirmou.Marco Aurélio defendeu a entrada de policiais nas favelas do Rio como forma de combater o crime."As favelas não consubstanciam terra de ninguém, sem lei", disse. Segundo ele, a polícia deve entrar nas favelas para preservar a tranqüilidade da população. "É uma cautela para que um inocente não venha a ser atingido até mesmo pordisparos de delinqüentes", concluiu.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.