Problemas com assinatura

Em janeiro, assinei um pacote de serviços da TVA: TV por assinatura, Fale à Vontade (linha de telefone) e internet banda larga da Telefônica. Dois dias após ter feito a assinatura, um funcionário da Telefônica instalou o Speedy. Mas, depois de duas semanas, os técnicos da TVA disseram que a TV a cabo não poderia ser instalada por causa de uma incompatibilidade técnica. Solicitei o cancelamento, porém me disseram que não poderiam fazê-lo por causa dos produtos da Telefônica e que eu teria de pagar multa contratual de R$ 260. Contratei a TVA e não a Telefônica, que pede para eu ligar de volta para a TVA, que já fez vários protocolos e responde que um representante da Telefônica entrará em contato comigo em até 48 horas. Até hoje nada, mas cobram o serviço de Speedy que não uso.RAFAELA ORLANDI D. GEORGETTISão PauloAdhelaine Marques, do Relacionamento com o Assinante TVA, informa que entrou em contato com a sra. Rafaela para esclarecer que não é viável a instalação da TVA na região solicitada. Acrescenta que, em relação aos serviços Speedy e Fale à Vontade, direcionou a questão à Telefônica para a empresa cancelá-los e regularizar os valores. Diz que a cliente deve aguardar o contato da Telefônica.O sr. Márcio Georgetti, marido da sra. Rafaela, confirmou o contato da TVA e disse que a empresa informou que a Telefônica entraria em contato em até 5 dias úteis. A TVA o aconselhou a pagar a conta do Speedy para evitar que o nome do titular da conta fosse para o SPC e que, posteriormente, a Telefônica iria ressarci-lo. "Ainda não considero a situação solucionada", diz.Cobrança de boletosA cobrança de taxa nos boletos, uma prática comum de violação de um direito do consumidor por empresas, é praticada também por companhias ligadas ao governo, que deveriam dar o exemplo. A SPTrans cobra essa taxa para a emissão do Bilhete Único de Estudante, carga de créditos pelo site, etc. A cobrança do boleto bancário de fornecimento de serviço ou aquisição de produto se configura prática abusiva por onerar excessivamente o consumidor na transferência de uma obrigação que compõe a atividade do fornecedor. Sei que o boleto gera uma facilidade ao consumidor, mas a empresa também economiza na estrutura de atendimento.CLÁUDIO DONIZETE DE SOUZASão PauloA SPTrans não respondeu.Cartão fidelidade IbériaFiz uma viagem para o Marrocos e para a Espanha, pela Ibéria, em 26 de setembro de 2008, quando eu ainda não participava do programa de milhagens. Porém, ao retornar no dia 20 de outubro aderi ao programa. Fui aceita e, dias depois, recebi o número do cartão fidelidade. Na ocasião em que me inscrevi, relacionei os trechos feitos, bem como todos os dados de cada cartão de embarque que tinha em mãos. Essa viagem foi feita por um grupo de amigos, num total de 14 pessoas, alguns inscritos no Iberia Plus, outros não. Aqueles que são inscritos no programa conseguiram 120 pontos em cada trecho da viagem de São Paulo-Madri e Madri-São Paulo. Para cada trecho, Madri-Málaga e Barcelona-Madri, foram dados 10 pontos. Entretanto, apesar de ter feito a mesma viagem, a Ibéria somente creditou 10 pontos no meu cartão fidelidade. Enviei e-mail e telefonei para a empresa, mas não recebi nenhuma explicação. O prazo para eu resgatar os pontos é de seis meses vencerá no dia 25 de março. Espero obter alguma solução para o caso.ROSELY BORGHESESão PauloA Assessoria Internacional de Imprensa da Iberia explica que houve um problema no sistema que abona os pontos. Diz que assim que resolvê-lo, a Iberia Plus creditará os pontos dos voos na conta da sra. Rosely. Buraco e transtornosA 50 metros da Avenida Paulista, na confluência da Rua Carlos Comenale com a Itapeva, há um buraco no asfalto de grandes proporções, formado há dois meses. Ele acaba causando sérios transtornos no trânsito, como congestionamentos, e, como está sem a devida tampa de proteção, pode causar acidentes em veículos e pedestres. Porém, a pequena placa de madeira colocada pela CET anunciando o perigo iminente pouco pode fazer contra os ventos, chuvas e enxurradas do verão.JOSÉ CARLOS CARDOSOSão PauloO secretário das Subprefeituras, Andrea Matarazzo, informa que a equipe de fiscalização da Subprefeitura da Sé esteve no local e notificou a concessionária Embratel, que colocou uma tampa definitiva no lugar da chapa metálica. As cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.