Procissão do Fogaréu leva 15 mil às ruas da Cidade de Goiás

Um público estimado em mais de 15 mil pessoas acompanhou, durante uma hora, a tradicional Procissão do Fogaréu realizada na madrugada de quarta para quinta-feira, na Cidade de Goiás, no Estado de Goiás. Com 261 anos de história, a encenação da perseguição de Jesus Cristo por um grupo de farricocos, representantes dos soldados romanos, leva à cidade turistas de todo o País e do exterior. São 40 componentes, vestidos de túnicas de cores sortidas, que empunham tochas enquanto percorrem as ruas de pedras da cidade histórica.Apertados entre as praças, calçadas e ruas estreitas de Goiás, curiosos turistas e fiéis deram início às celebrações principais da Semana Santa. Além da manifestação de fé, eles buscam o espetáculo das cores difusas formada pelo conjunto de homens que marcham rapidamente entre os presentes. À meia-noite em ponto a iluminação pública é cortada e somente as tochas abastecidas de querosene iluminam o caminho entre as casas de construção colonial. Três igrejas recebem a visita dos farricocos. Na primeira as tochas são acendidas. Na segunda, eles relembram os lugares por onde os soldados procuraram Jesus. Quando chegam à terceira, um carrasco de túnica vermelha toca o clarim, representando a delação de Judas. Um estandarte com a imagem de Jesus morto é apresentada por outro e a prisão se concretiza. O bispo da cidade, então, fala ao público. Neste ano o sermão ficou centrado na Campanha da Fraternidade, que pede o fim da exclusão de portadores de deficiência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.