Procon apreende quase 2 toneladas de alimentos estragados em Maceió

Segundo o órgão, estabelecimentos que vendiam produtos podem receber multa de até R$ 6 mi

Marcela Bourroul Gonsalves, estadão.com.br

08 Setembro 2011 | 15h38

SÃO PAULO - Uma operação realizada durante uma semana pelo Procon de Alagoas apreendeu pouco mais de 1,8 toneladas de alimentos impróprios para consumo em 10 supermercados da capital, Maceió. O balanço da "Operação Alimentos", encerrada na terça-feira, 6, foi divulgado nesta quinta, 8. Segundo o Procon, os estabelecimentos foram autuados e podem receber multa de até R$ 6 milhões.

Foram apreendidos produtos com prazo de validade vencido, sem prazo de validade ou data de fabricação, conservados de forma inadequada e estragados, que estavam sendo vendidos sem nenhuma restrição nas prateleiras dos estabelecimentos.

Os piores casos encontrados foram em relação aos embutidos, frios, carnes e peixes. Alguns apresentavam presença de líquido, superfície úmida e amolecida, além de manchas esverdeadas.

As irregularidades foram encontradas nos supermercados Buarque de Macedo e Pajuçara, Cesta de Alimentos, Compra Bem, Extra, GBarbosa, Líder, Neto, Ponto Certo e Unicompra.

Todos os alimentos vão ser incinerados e os estabelecimentos já foram autuados pelo Procon. Os supermercados têm 10 dias para apresentar sua defesa. O valor da multa é calculado com base no tamanho do porte da empresa e na penalidade cometida. A Operação Alimentos deve ser realizada em outras cidades do estado nos próximos meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.