Procurado em 3 países, homem acusado de pedofilia é preso em Campinas

Agentes encontraram computador com fotos e vídeos de pornografia infantil na casa dele

Solange Spigliatti, estadão.com.br

23 Setembro 2011 | 10h49

 SÃO PAULO - G.P.N., de 22 anos, foi preso em flagrante nesta quinta-feira, 22, em Campinas, no interior de São Paulo, acusado de divulgar, em rede de troca de arquivos pela Internet, uma grande quantidade de vídeos e fotos com pornografia infantil. 

A investigação começou a partir de troca de informações entre a Polícia Federal e a Polícia do Reino Unido, quando se apurou que uma pessoa, que se identificava com o nome de usuário "PRETEENRIO", havia espalhado para leitura de outros internautas, entre os meses de maio, junho e julho de 2011, material pornográfico infantil.

Segundo a PF, o suspeito preso passou por inquérito da Polícia Federal no ano de 2010, instaurado pela FBI, nos Estados Unidos. 

Para chegar ao suspeito, a PF criou um perfil falso e entrou em contato com "PRETEENRIO", dizendo que tinha arquivos com pornografia infantil e de que gostaria de ter acesso aos do investigado. Após ganhar a confiança do suspeito, a agente recebeu arquivos, confirmando as suspeitas.

Apurou-se que a conexão à Internet, da qual foram enviadas as imagens de pornografia infantil para a policial com o falso perfil, partiu de endereço no Bairro Campos Eliseos, em Campinas. No local foi encontrado o computador do suspeito ligado e com o aplicativo GIGATRIBE instalado, com enorme quantidade de arquivos com pornografia infantil. 

O apelido "PRETEENRIO" é comumente associado a arquivos ou indivíduos que se interessam por pornografia infanto-juvenil, sendo sua tradução literal "PRÉ-ADOLESCENTE RIO". A fotografia identificadora do perfil deste usuário é um desenho de duas crianças fazendo sexo anal.

Na casa, a polícia também encontrou maconha. O preso será recolhido à Cadeia Pública do 2º DP em Campinas, à disposição da Justiça Federal.

Mais conteúdo sobre:
pedofilia pornografia infantil

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.