Procurador alerta para ´inércia´ do governo no setor aéreo

O Procurador do Trabalho, Fábio Fernandes, advertiu nesta sexta-feira, 30, "descaso e a inércia" das autoridades em relação ao tráfego aéreo do País. "Todas as condutas adotadas pelo governo foram para piorar as condições de trabalho deste pessoal", declarou. Fernandes insiste que "houve omissão das autoridades" para deixar a situação chegar onde chegou, mesmo depois do acidente da Gol com o jato Legacy, que deixou 154 mortos no Mato Grosso, quando se limitaram a adotar soluções paliativas. O procurador disse ainda que "é pessimista" a previsão para os próximos dias no setor. "A incompetência, inércia, descaso do governo com a situação está colocando em risco, de novo, a tranqüilidade dos usuários e, mais grave, a segurança aérea do País", afirmou."Eu venho alertando que isso (mobilização dos controladores)poderia acontecer a qualquer tempo. O que se observa é que até mesmo as lideranças sindicais estão perdendo o controle sobre a categoria"."A caixa preta não é só da Infraero, é de todo o sistema do controle do tráfego aéreo", afirmou o procurador, que lamenta o acirramento dos ânimos dos controladores com a Aeronáutica. Segundo ele, a Força Aérea Brasileira (FAB) tentou resumir a crise à questão salarial dos controladores, mas o problema é muito mais complexo. O procurador disse que "o governo não encarou a situação com a seriedade devida". Ele afirmou ainda que,como cidadão, defende a criação da CPI do tráfego aéreo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.