Procurador-geral pede intervenção das Forças Armadas em Bangu

O procurador-geral do Rio, José Muiños Piñeiro Filho, pediu a intervenção das Forças Armadas no complexo penitenciário de Bangu. A decisão foi tomada após o ministério público ter divulgado nova gravação, na qual o traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar comandar, pelo telefone celular, uma chacina de dentro do presídio de segurança Bangu 1."Minha vontade seria interditar o sistema penitenciário. Mas não haveria onde alocar os presos. Talvez se faça necessária a intervenção das Forças Armadas no complexo. Seria o choque de autoridade. Isso se a Polícia Militar não tiver condições de intervir", afirmou. Segundo o MP, pelo menos duas pessoas morreram e outra ficou ferida na armadilha preparada pelo traficante. Beira-Mar decidiu se vingar de seus comparsas porque eles mataram três integrantes da quadrilha, sem a sua autorização. O secretário de Justiça, Paulo Saboya, informou, por meio da sua assessoria de imprensa que está aberto a qualquer diálogo e a receber qualquer tipo de ajuda". A governadora Benedita da Silva e o secretário de Segurança, Roberto Aguiar, não foram encontrados para comentar as declarações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.