Procurador pede intervenção em cadeias

O procurador de Justiça Lenio Luiz Streck pediu ao procurador-geral da República, Antonio Fernando Barros e Silva de Souza, que interponha representação no Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando intervenção federal no sistema carcerário do Rio Grande do Sul. A justificativa é a superlotação dos 127 estabelecimentos penais do Estado, que estão com 28,5 mil condenados em 18 mil vagas. Por conta dessa deficiência, os juízes passaram a permitir que réus condenados que responderam ao processo em liberdade não sejam presos até a abertura de vagas. A intervenção federal facilitaria a construção de presídios pela União.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.