Procurador quer que Pimenta Neves aguarde julgamento atrás das grades

O procurador da Justiça José Guerra Armede quer que o jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves seja imediatamente recolhido à prisão. Em manifestação endereçada nesta quinta-feira ao Tribunal de Justiça, Guerra destaca que o fato de Pimenta permanecer em liberdade - embora condenado a 19 anos, dois meses e 12 dias de reclusão, pela morte da também jornalista Sandra Gomide - "constitui verdadeira afronta à ordem pública, e isso significa incitar o terrível retrocesso à vingança privada".Em sua manifestação endereçada ao Tribunal de Justiça, Armede opina pelo acolhimento do mandado de segurança impetrado pelo promotor Carlos Sergio Rodrigues Horta, que objetiva derrubar decisão do juiz do Tribunal do Júri de Ibiúna, Diogo Ferreira Mendes, que concedeu a Pimenta o benefício de apelar em liberdade da sentença.A manifestação da Procuradoria da Justiça não tem força decisória, mas pode influir nos votos dos desembargadores que julgarão o mandado de segurança. O julgamento ainda não tem data prevista, mas se o mandado de segurança for acolhido, será imediatamente expedido mandado de prisão contra Pimenta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.