Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Procuradora é indiciada no Rio por torturar criança de 2 anos

Ex-empregadas denunciaram caso de maus tratos; Vera Lúcia Sant'Anna Gomes também responderá por racismo devido à forma como tratava funcionários

Priscila Trindade, da Central de Notícias

29 de abril de 2010 | 18h28

SÃO PAULO - A procuradora de Justiça aposentada Vera Lúcia Sant'Anna Gomes, de 53 anos, foi indiciada nesta quinta-feira, 29, pelos crimes de tortura qualificada e racismo. Ela é acusada de agredir e torturar uma criança de 2 anos e 10 meses que estava sob sua guarda. O crime de racismo foi configurado devido à forma como a procuradora tratava suas empregadas.

 

Vera Lúcia prestou depoimento por quase três horas no 13º Distrito Policial, em Ipanema, na zona sul do Rio. Ela chegou às 14h45 acompanhada de seu advogado, Jair Leite Pereira, e não falou com a imprensa. Por volta das 17h30, a procurada deixou o local.

 

Ex-funcionárias da procuradora denunciaram o caso de maus tratos à polícia. As empregadas afirmaram que a menina, que estava provisoriamente sob a guarda dela, apanhava constantemente.

 

Embora o advogado da procuradora negue as acusações, na quarta-feira, o Ministério Público estadual do Rio entrou com representação contra Vera Lúcia por ela infringir um artigo do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Os promotores querem que ela pague multa.

 

As Promotorias de Infância e Juventude do Rio pretendem ingressar ainda com ação de indenização por danos morais por causa das humilhações e ofensas sofridas pela criança.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.