Professor assassinado em BH não reagiu a assalto

O professor de Ciências Biológicas, Cristhian Lutkenhaus, de 31 anos, foi morto no início da tarde de hoje durante uma tentativa de assalto na Escola Estadual Senador Teotônio Vilela, no bairro Jardins Teresópolis, periferia de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Civil, Lutkenhaus levou um tiro no rosto quando dois homens invadiram a escola e anunciaram o assalto. Segundo o inspetor Marcelo Ferreira, do Iº Distrito de Betim, os assaltantes entraram na escola por volta das 13h, antes do início do turno da tarde, e se dirigiram à sala dos professores, onde Lutkenhaus fazia um lanche. Outras duas funcionárias estavam na sala. Os assaltantes ordenaram às vítimas para que elas se mantivessem de cabeça baixa. Eles então exigiram que Lutkenhaus entregasse a chave de sua moto, que estava pendurada em seu pescoço.Quando o professor ameaçou tirar a chave para entregá-la aos criminosos, ocorreu o disparo, que atingiu o olho esquerdo do professor. De acordo com os policiais, a vítima não esboçou reação.Lutkenhaus morreu no local. Segundo Ferreira, o tiro que matou o professor foi disparado de uma arma calibre 38. Os assaltantes fugiram pelos fundos da escola, sem que qualquer objeto fosse roubado. Até o início da noite de ontem nenhum suspeito havia sido preso.O assassinato chocou os colegas e os alunos de Lutkenhaus. As aulas do turno da tarde foram suspensas. Apesar de a região registar alto índice de criminalidade, conforme dados da polícia, a diretora da Escola Estadual Senador Teotônio Vilela, Meire Amaral, disse que casos de violência não são comuns dentro do estabelecimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.