Professor é denunciado por fazer apologia ao crime no Orkut

O diretor da escola de primeiro grau Mundaí, localizada no município de Porto Seguro, a 705 quilômetros de Salvador, Robert Goldberg, de 48 anos, foi denunciado pelos pais de seus alunos por suspeitas de incentivar procedimento criminoso. Goldenberg publicou no site de relacionamentos Orkut uma foto onde aparece usando um capuz e segurando uma arma. "Minha intenção era causar polêmica, denunciar que a internet pode veicular bons e maus conteúdos",explica o professor nascido em Nova York, que está há 15 anos no Brasil e é dono da escola há 13. Ele foi denunciado por pais de alunos ao Ministério Público. No perfil divulgado no Orkut, Goldberg destaca suas preferências: armas, bebidas e mulheres, ressaltando que, com exceção de sua mãe, seriam todas prostitutas. Ele se diz vítima de preconceito e patrulhamento. "Acho que não cometi crime algum. Mas, as grandes redes de tevê só fazem sensacionalismo".O Ministério Público Estadual determinou à Polícia que, ainda essa semana, ouça o professor que, depois das denúncias, modificou seu perfil na página do site de relacionamentos, mas afirma que fez "nada de errado". Tatuado no braço esquerdo, Goldberg exibe imagens das torres gêmeas em chamas, em referência ao atentados de cinco anos atrás. Sobre os alunos que saíram na esteira da crise resumiu: "saia quem quiser, só quero aqui gente que me respeita".

Agencia Estado,

12 de setembro de 2006 | 19h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.