Professor trocava notas altas por sexo com alunas em Cuiabá

Adriano Knippelberg de Moraes, de 29 anos, lecionava em instituto federal e em uma escola particular da capital

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

08 de julho de 2015 | 19h06

SOROCABA - Um professor de história está preso desde o último dia 30 em Cuiabá (MT), acusado de exigir favores sexuais de alunas menores de idade em troca de boas notas nas provas. As garotas eram assediadas pessoalmente e através do aplicativo WhatsApp. O professor Adriano Knippelberg de Moraes, de 29 anos, lecionava no Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) e em uma escola particular da capital.

Pelo menos duas garotas, de 15 e 17 anos, confirmaram ter mantido relações sexuais com ele e tiveram as notas aumentadas. Uma delas, no entanto, disse que sua relação com o professor não teve a ver com as notas. Uma terceira adolescente apresentou à polícia mensagens enviadas pelo docente através do aplicativo do celular em que teria ficado claro a proposta de sexo em troca de notas. Ela recusou a oferta. 

A polícia procura outras duas alunas que teriam sido assediadas por Moraes e concordado em ir com ele para um motel. Em 2014, Moraes teria mantido relações com uma aluna também menor no banheiro da unidade de ensino.

O professor teve a prisão temporária decretada pela 14.a Vara Criminal de Cuiabá e permanece preso no Centro de Ressocialização da capital. De acordo com a Polícia Civil, ele confessou ter mantido relações sexuais com uma aluna adolescente e que apenas teria beijado a outra. Alegou ainda que o relacionamento não teve a ver com a atividade escolar. O instituto federal informou ter aberto processo administrativo disciplinar para apurar a conduta do docente.

Mais conteúdo sobre:
CuiabáMato Grosso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.