Professora atropelada por lancha corre risco de vida

Internada depois de ser atropelada no sábado pela lancha do reitor da Universidade Veiga de Almeida, Mário Veiga de Almeida, em Búzios, Região dos Lagos, no Rio, a professora Viviane Degon Cox, de 48 anos, corre risco de vida. Ela está no Centro de Terapia Neurointensiva do Hospital Barra D´or, na zona oeste do Rio, e respira por aparelhos.Vítima de traumatismo craniano, além de fratura de um dos ombros, Viviane foi submetida a cirurgias de reconstrução daface e crânio e correção do afundamento frontal, além de traqueostomia, segundo boletim médico divulgado hoje à tardepelo Barra D´Or. As operações levaram nove horas.A equipe médica informou ainda que a pressão sangüínea da paciente está "dentro dos limites aceitáveis" e que ela está sendo mantida sedada. Viviane foi assistida pelo neurocirurgião Marlo Steiner Flores e pelo cirurgião maxilofacial Ricardo Cruz.O acidente, conforme relato do próprio Veiga de Almeida, que socorreu Viviane, ocorreu por volta das 17 horas de sábado, quando ele passeava de lancha pela Praia Azeda, uma das maisfreqüentadas de Búzios. Ele sentiu o impacto do corpo de Vivianechocando-se contra a parte de baixo da embarcação - que, segundo ele, estava a 150 metros da costa.Veiga de Almeida então mergulhou para resgatar a professora e a levou para o posto de saúde de Búzios, onde ela recebeu os primeiros socorros. Viviane foi transferida para o Barra D´Or de helicóptero. Ela mora na França e está de férias no Rio de Janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.