Reprodução
Reprodução

Professora é condenada por ter caso com aluna de 13 anos no Rio

Juiz deu pena de 12 anos para ex-docente da rede municipal; ela confessou relação e disse estar apaixonada

Solange Spigliatti, da Central de Notícias, e Pedro Dantas, de O Estado de S.Paulo,

27 de janeiro de 2011 | 10h36

SÃO PAULO - A professora de Matemática, Cristiane Barreiras, acusada de abusar de uma aluna de 13 anos, no Rio, foi condenada na quarta-feira a 12 anos de prisão por estupro de vulnerável, segundo confirmação do Tribunal de Justiça do Estado. O advogado dela já anunciou que vai recorrer da decisão.

 

A sentença foi dada pelo juiz Alberto Salomão Júnior, da 2ª Vara Criminal de Bangu, na zona oeste do Rio, na tarde de ontem.  De acordo com a sentença, Cristiane não poderá recorrer em liberdade e pagará as custas e a taxa judiciária.

 

Na sentença, o juiz ressaltou que a estudante "apesar de possuir 13 anos de idade, com desenvoltura narrou a prática criminosa levada a cabo pela imputada". De acordo com o depoimento da aluna, as duas se encontravam às quartas-feiras em um motel e também em praças da zona oeste da cidade. Na decisão, o juiz revela que a menina chegou a declarar em juízo que "sentia um grande amor pela acusada e por tal motivo, pretendia, à época do namoro com a mesma viver por toda a vida".

 

Cristiane Teixeira Maciel Barreiras, de 33 anos, que trabalhava na Escola Municipal Marechal Rondon, em Realengo, na zona oeste carioca, foi presa na madrugada do dia 27 de outubro do ano passado, em Padre Miguel, após ser denunciada pela mãe da vítima na 33ª Delegacia de Polícia de Realengo.

 

Após a denúncia, Cristiane foi presa e demitida do colégio. O diretor do local também perdeu o cargo e foi indiciado pelos mesmos crimes que a professora.

O marido da professora ficou em estado de choque ao saber o motivo da prisão.

 

Atualizado às 15h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.