Professora é demitida por aplicar pesquisa eleitoral em classe

A professora Renata Alexandra Godoy foi demitida da rede municipal de Taubaté, interior de São Paulo, por justa causa, depois de aplicar uma pesquisa eleitoral em classe. Concursada, ela dava aula para uma turma de ensino fundamental. No início da semana, Renata aplicou uma tarefa, dentro do conteúdo da disciplina "estudos sociais", onde os alunos deveriam entrevistar os pais sobre as últimas eleições. Dez perguntas como "em quem seus pais votaram nas últimas eleições para prefeito", "por que escolheram o candidato" e "em quem votariam se as eleições fossem hoje", causaram preocupação nos pais. "Ficamos com medo de perseguição", disse uma mãe que preferiu não se identificar. Outro pai de aluno achou que esta foi uma forma do prefeito José Bernardo Ortiz (PSDB) destinar as vagas escolares do ano que vem somente para as famílias que o apoiaram nas eleições. "Ela não ensinou que o voto é secreto", alertou outra mãe. A atividade foi aplicada para crianças de 8 anos.O que era para ser uma simples tarefa revoltou os pais e o próprio prefeito. "Ela vai ter que aprender a ensinar e prestar outro concurso", declarou o prefeito. Ortiz demitiu a professora um dia depois de os pais reclamarem. Em nota oficial, o prefeito informou a imprensa que não tinha conhecimento do conteúdo da disciplina. A professora não foi localizada para falar sobre o assunto. A direção da escola do Jardim Mourisco e o Departamento de Educação do município não quiseram dar declarações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.