Professores da Prefeitura de SP ameaçam parar

Uma manifestação reuniu ontem cerca de 800 funcionários de educação na frente da sede da Prefeitura, no centro. Liderados pelo vereador Claudio Fonseca (PC do B), integrantes de três sindicatos ligados ao serviço público municipal ameaçaram convocar uma greve do setor. A medida seria uma represália ao projeto de lei que concede 40% de reajuste aos funcionários do primeiro escalão da administração municipal. "Queremos aumento igual para todos os professores", disse o vereador Fonseca. O parlamentar e outros cinco representantes dos sindicatos esperaram durante mais de uma hora por uma audiência com a secretária de Administração, Helena Kerr, mas não foram atendidos. "Esse tipo de atitude aumenta a insatisfação do funcionalismo com a administração. Vamos conversar e, se pudermos, convocaremos uma greve do funcionalismo", ameaçou Fonseca. A Secretaria de Administração divulgou nota informando que designou um assessor para conversar com o vereador, mas Fonseca se recusou a dialogar, porque queria falar com a prefeita. Na nota, a Prefeitura também se comprometeu em apresentar uma proposta para o funcionalismo em 150 dias.

Agencia Estado,

27 de abril de 2001 | 08h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.