Profissionais de educação da rede municipal de SP decidem continuar em greve

Decisão foi tomada durante assembleia geral realizada nesta quarta-feira, 4, no centro da capital paulista

estadão.com.br,

04 Abril 2012 | 23h18

SÃO PAULO - Profissionais de educação da rede municipal de ensino de São Paulo decidiram manter a greve da categoria, iniciada na segunda-feira, 2. A decisão foi tomada durante assembleia geral realizada nesta quarta-feira, 4, no centro da capital paulista. Segundo o Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal (Sinpeem), mais de seis mil pessoas participaram do ato. Uma nova assembleia será realizada na próxima terça-feira, 10.

De acordo com o sindicato, as propostas apresentadas pela administração municipal foram consideradas insatisfatórias por não atender as reivindicações da categoria, como a antecipação dos índices de reajustes previstos para 2013 e 2014, transformação do agente de apoio em agente escolar, redução do número de alunos por sala de aula, melhoria do atendimento médico hospitalar, entre outras.

No dia 10, os servidores sairão em passeata até a Câmara Municipal para pressionar a aprovação do Projeto de Lei que garante férias coletivas em janeiro para a educação infantil e o recesso de julho para os Centros de Educação Infantil (CEI).

Mais conteúdo sobre:
greve paralisação educação Sinpeem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.