Programa Boa Noite dá pernoite em hospedarias do Rio

A prefeitura do Rio começou nesta quinta-feira o programa de pernoite gratuito em hospedarias do centro da cidade, voltado para o trabalhador informal. Todas as noites, 30 pessoas, que dormem nas ruas porque não têm como pagar a passagem de volta para casa, serão convidadas por assistentes sociais a dormir numa pensão, ao custo de R$ 8, pagos pela prefeitura. O sistema é parecido com o Hotel Popular, do governo do Estado, onde o trabalhador informal tem direito a quarto, escova e pasta de dentes, café da manhã. Na versão estadual, o hóspede paga R$ 1 e enfrenta fila todas as noites na porta do hotel. São 138 vagas diárias. O Programa Boa Noite não prevê livre-acesso dos trabalhadores informais à pensão. "A gente vai buscar na rua a população que está forrando seu papelão na calçada", diz o secretário municipal de Assistência Social, Marcelo Garcia. Os trabalhadores do centro que forem convidado, recebem um vale, que dá direito ao ingresso na pensão aquela noite e um lanche. "Haverá casos de pessoas que precisam de outro tipo de encaminhamento, como abrigo ou acolhimento. A hospedagem por uma noite é um serviço emergencial", diz o secretário. Nas primeiras semanas, as equipes da secretaria percorrerão a Central do Brasil, Lapa, Cinelândia e avenidas Rio Branco e Presidente Vargas em busca de 30 pessoas que se encaixem no perfil. Mais tarde, as vagas serão estendidas para a Tijuca, na zona norte, e cem trabalhadores serão selecionados todas as noites.

Agencia Estado,

16 de julho de 2004 | 02h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.