Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Programa da Prefeitura de SP permite parcelar multas de trânsito em atraso

A partir desta segunda-feira, 15, o novo Programa de Parcelamento de Multas de Trânsito (PPM) permitirá renegociar dívidas decorrentes de penalidades cometidas até 31 de outubro de 2016

O Estado de S.Paulo

15 Janeiro 2018 | 11h12

A partir desta segunda-feira, 15, o novo Programa de Parcelamento de Multas de Trânsito (PPM), criado pela Prefeitura de São Paulo, permitirá que proprietários de mais de 2 milhões de veículos parcelem suas multas de trânsito em atraso na capital paulista. 

O programa desvincula a multa da placa do veículo e a transfere para o CPF ou CNPJ do proprietário, permitindo que os veículos sejam licenciados a partir do pagamento da primeira parcela. A estimativa da prefeitura é que sejam parceladas quase 12 milhões de multas vencidas. Tanto pessoas físicas quanto jurídicas poderão solicitar o parcelamento.

Poderão ser negociadas dívidas decorrentes de penalidades cometidas até 31 de outubro de 2016. O período para o ingresso será de 90 dias, e quem aderir à medida terá o licenciamento liberado e poderá fazer a transferência do veículo para terceiros após o pagamento da primeira parcela. Atualmente, o munícipe não pode licenciar o veículo com multa pendente e, sem o licenciamento, fica impedido de circular com o veículo, ou vendê-lo.

O PPM possibilitará a redução de 100% dos juros sobre o débito principal e liberará o licenciamento ou transferência do veículo. Isto porque as multas serão desvinculadas da placa e atreladas ao CPF ou CNPJ, criando condições para que os proprietários possam se recompor financeiramente e quitar seus débitos. Pode participar, inclusive, quem já está com o nome inscrito na dívida ativa do município.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.