Programas municipais de transferência de renda crescem nas grande cidades

Número de municípios pequenos que oferecem o serviço, no entanto, apresentou ligeira queda em relação ao ano de 2009, de acordo com a Pesquisa de Informações Básicas Municipais

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

14 Maio 2014 | 10h01

RIO - A Pesquisa de Informações Básicas Municipais (Munic) 2013, divulgada nesta quarta-feira, 14, mostra ligeira queda na proporção de municípios que têm programas próprios de transferência de renda, independentes ou suplementares ao Bolsa-Família, programa federal que atinge 14 milhões de famílias pobres e extremamente pobres no País.

Apenas 7,8% das prefeituras oferecem programas de transferência direta de renda, ante 8,3% de 2009. Quanto maior a população, mais prefeituras oferecem o benefício. Entre as 39 maiores cidades do País, com mais de 500 mil habitantes, 43,6% têm programas próprios de transferência de renda. Houve ligeiro aumento em relação aos 42,5% de 2009.

Nos pequenos municípios de 5 mil a 10 mil habitantes também houve aumento da proporção de prefeituras que oferecem o benefício. Nas demais classes de população a proporção caiu entre 2009 e 2013.

 

Mais conteúdo sobre:
IBGE transferência de renda Munic

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.