Proibido virar à esquerda

Colocaram "tartarugas" com duas faixas amarelas na Avenida Giovanni Gronchi e proibiram virar à esquerda na Rua Manoel Antônio Pinto, no Morumbi, onde moro e é sem saída. Fui orientada à ir até o Estádio do Morumbi fazer o retorno. É um absurdo ter de dirigir mais de 1,5 quilômetro, em um bairro perigoso, para fazer o retorno para entrar na própria rua. Peço que, como em outros pontos da avenida, seja possível contornar à esquerda. Além da falta de planejamento para acompanhar o crescimento do bairro, há a questão da segurança pública. Minha família já sofreu várias vezes com a violência existente no bairro. DEBORAH BARBATO ANTONIOSão PauloAdele Nabhan, do Departamento de Imprensa da CET, esclarece que a proibição de conversão à esquerda ao longo das avenidas principais de São Paulo é uma medida adotada para garantir a segurança dos motoristas e pedestres, bem como a fluidez do trânsito local. Trafegam 92 veículos por minuto nos períodos de pico na Avenida Giovanni Gronchi ante 2 por minuto na Rua Manoel Antônio Pinto. Para esse cruzamento, há outras opções de retorno: Avenida Giovanni Gronchi sentido João Dias/Estádio do Morumbi para o sentido oposto; Giovanni Gronchi/R. Dona Vitu Giorgi/R. Ernest Renan/R. Clementine Brenne/Giovanni Gronchi (sentido Estádio do Morumbi/ João Dias); Giovanni Gronchi sentido Estádio do Morumbi/ João Dias para o sentido oposto: Av. Giovanni Gronchi/R. Prof.º José Horácio Meirelles Teixeira/R. São Pedro Fourier/ Av. Giovanni Gronchi (sentido João Dias/Estádio do Morumbi).Ponto adicionalTenho um ponto adicional da NET e pedi a instalação de mais um, mas a atendente disse que a empresa não está realizando esse serviço. Dias depois, outro atendente ofereceu um combo com um ponto adicional incluso e que eu só seria cobrado o segundo ponto. Ou seja, há condições técnicas para instalá-lo, mas será que a NET quer me forçar a assinar o combo?TÂNIA RABELLOSão PauloFernanda Piccablotto, da Gestão de Clientes da NET São Paulo, esclarece que a empresa já atende às determinações do novo regulamento e, atualmente, trabalha no desenvolvimento de sistemas para pôr em prática as novas ofertas de pontos adicionais, que serão anunciadas em breve. Diz que a NET oferece ponto opcional gratuito como um dos benefícios aos assinantes do NET Combo (pacote de serviços com TV por assinatura, internet banda larga e telefonia fixa) e deixa disponível a programação eventual (PPV) em todos os pontos instalados na casa, quando o cliente a solicita. Oferece ponto-escravo (que veicula a mesma programação exibida no ponto principal) ou ponto aberto (com canais abertos e obrigatórios de TV com qualidade de som e imagem) sem cobrança de mensalidade. Informa que a NET não cobra e nunca cobrou pela programação disponível nos pontos adicionais, ela é cobrada apenas na assinatura do primeiro ponto. A leitora comenta: A NET não respondeu à minha solicitação. Posso ter um ponto adicional (pagando por ele ou não, conforme o que a legislação determinar) em casa sem ter de modificar em nada o atual pacote? Esclarecimento: Em ref. à carta publicada no dia 15, da sra. Alvamar C. de O. Benedetto, Avenida Paulista, a Prefeitura responde: A reforma da Avenida Paulista, que contou com a regularização de todo o piso, apontou um desnível no acesso do condomínio Pauliceia e a Prefeitura notificou o edifício para fazer a regularização do acesso com uma rampa para a parte interna do prédio, pois não pode fazer a obra no sentido da calçada para não ocupar espaço público. A rampa provisória instalada pelo prédio é irregular. O local deve passar por vistoria nos próximos dias e, caso essa rampa provisória seja constatada, o condomínio pode ser multado em R$ 500 por obstrução do passeio. O processo de tombamento do prédio não impede as adequações que digam respeito à acessibilidade do condomínio, já que elas são determinadas por lei.ANDREA MATARAZZO, secretário das SubprefeiturasA leitora comenta: Os desníveis foram ocasionados pela má execução da obra e a degradação do ambiente é percebida em toda a extensão da avenida. É ridículo aplicarem uma multa ao edifício, pois cabe ao prédio mover uma ação contra a Prefeitura e a empresa de engenharia que fez o serviço. O processo de tombamento do prédio não impede as adequações que digam respeito à acessibilidade do condomínio. Mas é uma obra de grande vulto e não cabe à Prefeitura transferir ao cidadão a responsabilidade e custos dos erros da instalação da nova calçada. As cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.