Projeto de lei quer proibir perseguição a animais em rodeios no Brasil

Texto prevê multa de até R$ 50 mil ao organizador, assim como para autoridade que liberou o evento

João Paulo Carvalho, estadão.com.br

25 Agosto 2011 | 18h02

SÃO PAULO - O deputado federal Ricardo Tripoli (PSDB-SP) apresentou nesta semana o projeto de lei 2086/2011, que proíbe a perseguição de animais em provas de rodeios e prevê multa de até R$ 30 mil. Em caso de reincidência, o valor poderá ser duplicado.

 

Segundo o texto apresentado ao plenário da Câmara, considera-se infrator o responsável da licença, ou alvará, que autorizou a realização do evento em que foram executadas as práticas contra os animais, bem como a autoridade, agente ou servidor que concedeu alvará ou licença ao evento. 

 

Em sua justificativa, Tripoli cita o caso do bezerro que foi sacrificado na última sexta-feira, após ficar paralítico durante uma prova na arena da 56º Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos, no interior de São Paulo. A elaboração do projeto de lei contou com a colaboração da União Internacional Protetora dos Animais (Uipa).

 

Punição. O peão Cesar Brosco foi suspenso por seis meses pela Associação Nacional de Bulldog (ANB). Ele participou da prova em que o bezerro sofreu uma lesão na coluna e ficou paralítico. O animal acabou sendo sacrificado.

 

O pedido de afastamento do competidor foi feito por técnicos do Centro de Estudos do Comportamento Animal (Ecoa) depois de análise das fotos e imagens de sua participação na prova de Bulldog.

 

O relatório demonstra que a lesão da vértebra cervical do animal ocorreu por conta de uma manobra executada de forma irregular. Segundo os técnicos, foi um procedimento não permitido pelas regras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.