Projeto Nova Luz retrocede na Câmara

Ele terá de ser debatido novamente em audiências e comissões

Diego Zanchetta e Vitor Hugo Brandalise, O Estadao de S.Paulo

31 de março de 2009 | 00h00

Nove meses após ser levado pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM) à Câmara, o projeto de concessão urbanística da Nova Luz retrocedeu. O novo texto enviado na sexta-feira ao Legislativo, que protege o perímetro da região da Santa Ifigênia da desapropriação do bairro, terá de passar novamente pelas comissões de Constituição e Justiça e de Política Urbana. Novas audiências para o debate do projeto devem ser marcadas, segundo o líder do partido do prefeito, Carlos Apolinário."É um novo projeto, voltou à estaca zero. É uma nova criança", comparou Apolinário. Com a mudança, a bancada do PT pretende tentar prorrogar as discussões sobre a concessão até o segundo semestre. Para o vereador Antonio Donato (PT), o prefeito mostra "descompasso" em suas ações prioritárias. "Parece definitivamente que o governo não sabe o que quer para a região", criticou Donato. A desapropriação da Nova Luz foi anunciada pela primeira vez em maio de 2005 pelo então prefeito José Serra (PSDB). A revitalização da área conhecida como Cracolândia também se tornou uma das bandeiras de Kassab. O plano engloba a recuperação de 750 imóveis previstos para serem desapropriados e R$ 2 bilhões de investimentos na área. Passados quatro anos, contudo, a maior parte do projeto segue no papel. Por vias da região, como nas Alamedas Glete e Helvetia, por exemplo, o cenário é o mesmo de uma década atrás: dezenas de jovens moradores de rua fumando crack à luz do dia, alguns poucos bares e quase nenhum morador.A concessão da Nova Luz poderia criar ainda 25 mil empregos diretos. Só que o projeto que prevê os incentivos fiscais para quem for para a região também precisa ser votado na Câmara. O líder de governo, José Police Neto (PSDB), argumenta que não haverá atraso no projeto, apesar do novo trâmite legislativo que o texto vai seguir. "Vamos votar a legalidade na CCJ o quanto antes", disse.Questionado ontem pela manhã sobre o possível atraso, Kassab declarou estar confiante na aprovação da Câmara. "É muito importante o projeto para a revitalização do centro e quanto mais cedo tivermos o início da instalação, melhor, até por causa da crise econômica", disse o prefeito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.