Projeto pró-Aécio em 2014 breca defecções no DEM de Minas

Deputados acusam presidente da sigla no Estado de agir em favor dos próprios interesses; tucano tenta conter crise

Eduardo Kattah, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2011 | 00h00

BELO HORIZONTE

Com dois de seus quatro deputados estaduais em rota de colisão com o presidente estadual do partido, o DEM vive em Minas uma crise interna, ameaçado de várias defecções. Os insatisfeitos acusam o presidente licenciado Carlos Melles - também secretário de Transportes - de utilizar o partido em benefício próprio e vão cobrar da direção nacional uma intervenção no diretório até a eleição da nova executiva estadual, em agosto.

"Estamos indo à Executiva Nacional para que ela tome providências", disse o deputado estadual Gustavo Valadares. "Se nenhuma medida for tomada, aí vamos pensar em sair do partido."

De acordo com integrantes do partido, a união em torno do projeto presidencial do senador Aécio Neves (PSDB-MG) explica por que os Democratas no Estado ainda não sofreram nenhuma baixa para o PSD do prefeito paulistano Gilberto Kassab.

Na semana passada, após um encontro com Aécio, o deputado estadual Gustavo Corrêa disse ao Estado que decidiu a permanecer no DEM e não migrar para PSD. Secretário estadual de Esportes durante a gestão Aécio, ele esteve em Brasília com o senador e com o presidente nacional do DEM, José Agripino (RN). Ele articulava sua saída e vislumbrava a possibilidade de presidir o PSD em Minas. Depois, disse que foi convencido a ficar, após se reunir com Aécio. O senador indicou, segundo ele, que vai se empenhar para resolver as rusgas e fortalecer o partido aliado. "Percebi, tanto do Aécio quanto do José Agripino, a necessidade de juntar os cacos."

Em Minas os democratas controlam quase 100 prefeituras e estão organizados com diretórios ou comissões provisórias em 813 municípios.

Convenções

O DEM faz eleições nos diretórios municipais de Minas em julho. Serão indicados os delegados que participarão da eleição para a direção estadual, em que Carlos Melles tentará a reeleição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.