Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Projetos para a recuperação do centro de SP começam a sair do papel

Idéias para a recuperação do centrosão quase tão antigas quanto a decadência da região, que começouno fim dos anos 60. A diferença é que, nos últimos tempos, osprojetos começaram a sair do papel. Já é possível sentir algunsdos efeitos das ações, tanto do governo do Estado como daPrefeitura e da própria iniciativa privada, que começa a apostarna área para grandes investimentos. Apenas a Prefeitura investiu R$ 82 milhões em obras nosúltimos dois anos. Entre as ações estão a reforma da Praça doPatriarca e a construção do corredor cultural da Rua Xavier deToledo.Um passo importante do processo é a transferência de váriosórgãos públicos para a área. A prefeita Marta Suplicy (PT)decidiu transferir em janeiro a sede da Prefeitura para oEdifício Patriarca, no Vale do Anhangabaú. Várias secretariasmunicipais que estavam dispersas em outros pontos da cidade jáse mudaram para a região e a previsão é que todas sigam o mesmocaminho até o fim de 2004. O exemplo foi seguido pelo governador Geraldo Alckmin(PSDB), que, no início do mês, acertou com o Banco Itaú a comprade oito edifícios nas Ruas 15 de Novembro e Boa Vista. Osprédios vão abrigar três secretarias de Estado e cinco empresasestatais, além de uma extensão do próprio gabinete do governador onde Alckmin pretende despachar eventualmente. O governoestadual foi responsável por um dos maiores projetos derevitalização da área: a construção da Sala São Paulo. ´Realidade´ - "A recuperação do centro hoje já é umarealidade", diz a presidente da Empresa Municipal de Urbanização(Emurb), Nádia Somekh. Até outubro, ela espera a liberação dofinanciamento de US$ 100 milhões do Banco Interamericano deDesenvolvimento (BID) para o Programa Ação Centro. São mais de130 ações e obras, de melhorias no sistema de transporte aprojetos sociais. Numa espécie de efeito dominó, a iniciativa privadatambém começou a investir na região. E não são apenasempreendimentos privados. Em outubro, vão começar as obras daEsplanada da Luz, uma inspiração na Praça de São Marcos, a maisconhecida de Veneza, que será construída entre a estação e oparque da Luz. A obra, estimada em R$ 15 milhões, que inclui umauditório subterrâneo, será custeado por empresários e pelacomunidade do Bom Retiro.

Agencia Estado,

16 de agosto de 2003 | 12h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.