Promotor acusado de assassinato volta ao cargo

O Tribunal de Justiça de São Paulo concedeu uma liminar que reconduz o promotor Thales Ferri Schoedl ao Ministério Público. A decisão é do vice-presidente do tribunal, desembargador Canguçu de Almeida, que determinou também que Schoedl volte a exercer sua função e a receber salários e demais vantagens.Schoedl, de 27 anos, foi destituído de seu cargo por matar Diego Mendes Modanez e ferir Felipe Siqueira Cunha de Souza após uma discussão no dia 30 de dezembro de 2004, em Riviera de São Lourenço, condomínio de classe média alta em Bertioga, no litoral paulista. Ele disparou 12 tiros com uma pistola semi-automática calibre 380. Modanez foi atingido por dois disparos e morreu na hora. Souza, da mesma idade, foi baleado quatro vezes, mas sobreviveu.Como ainda não era vitalício no cargo, por não ter completado dois anos de experiência como promotor, Schoedl foi afastado em 1º de setembro do ano passado.Leia na Revista Consultor Jurídico

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.