Promotor detalha participação de militares na morte dos jovens

A denúncia entregue ao juiz do 3.º Tribunal do Júri apresenta qual foi a participação de cada militar no caso

Marcelo Auler, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2008 | 19h37

Na denúncia apresentada ao juiz do 3.º Tribunal do Júri, o promotor Marcos Cak, descreveu a participação dos onze militares no caso:   Veja também: Prefeitura e Estado disputam conclusão das obras na Providência Polícia diz ter identificado assassinos dos jovens da Providência Com obras embargadas, Exército deixa Morro da Providência Justiça Eleitoral embarga obras no Morro da Providência Crivela lamenta 'contaminação política' de obras na Providência Opine: o Exército pode cuidar da segurança pública?    - Tenente Vinicius Ghidetti de Moraes Andrade: teve a participação de maior relevo para a consecução do delito, visto que este, além de idealizar a conduta, determinou a seus subordinados a realização da empreitada criminosa de entrega das vítimas para serem torturadas e mortas.   -1.º Sargento Leandro Maia Bueno: teve importante participação visto que este desceu do caminhão e deliberou com os traficantes, obtendo autorização para a entrada da viatura e conseqüente entrega das vítimas aos seus algozes.   - Soldado José Ricardo Rodrigues de Araújo: guiou os acusados até o Morro da Mineira, indicando o caminho e as alternativas para a chegada do grupo até aquele local.   - Soldado Eduardo Pereira de Oliveira: concorreu de forma eficaz para o crime, pois conduziu a viatura até o destino final; (Aqui houve um erro, pois o promotor fala em sétimo denunciado e o soldado é o sexto denunciado. O sétimo é o 3.º Sargento Bruno Eduardo de Fátima).   - Soldado Fabiano Eloi dos Santos: teve importante participação para o crime vez que impediu que uma das vítimas escapasse, dominando-a e entregando-a diretamente aos traficantes locais, frustrando-lhe a tentativa de fuga.   - 3.º Sargento Renato de Oliveira Alves, cabo Samuel de Souza de Oliveira, os soldados Eduardo Pereira de Oliveira (repete o nome que apareceu acima), Júlio Almeida Ré, Sidney de Oliveira Barros: concorreram eficazmente para os crimes já que serviram de escolta, garantindo a segurança dos demais durante a entrada e saída do Morro da Mineira.   A denúncia do promotor Cak não descreveu a conduta do 3.º Sargento Bruno Eduardo de Fátima e do Soldado Rafael Cunha da Costa Sá.

Tudo o que sabemos sobre:
ExércitoMorro da Providência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.