Promotor diz não ter medo de ameaças de bandidos

O promotor de Presidente Prudente, no interior de SP, Mário Coimbra, é, segundo investigações da polícia, o número 1 numa possível lista deautoridades juradas de morte por criminosos. Mesmo assim, disse que não tem medo e o risco faz parte do trabalho. Para se precaver, Coimbra e sua família são escoltados 24 horas por policiais militares.Entretanto, ele garantiu nunca ter sido ameaçado até hoje e disse que, se tivesse de ficar cara a cara com um possível algoz, não se sentiria intimidado. "Hoje em dia ser promotor é ser um guerreiro a serviço da sociedade."Coimbra foi um dos homens do Ministério Público Estadual (MPE) que, nesta segunda-feira, estiveram coletando informações com detentos do Centro de Readaptação Penitenciária (CRP) de Presidente Bernardes, presídio de segurança máxima que abriga o traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, e a maioria doalto escalão do Primeiro Comando da Capital (PCC).A participação da facção criminosa no assassinato do juiz Antônio José Machado Dias ainda está sendo investigada pela força-tarefa.Coimbra disse que sua maior preocupação é com a família. Mas garantiu que não vai se deixar intimidar. "O meu trabalho continuará normalmente." Durante o dia, Coimbra é constantemente seguido por um carro da Polícia Militar. Quando tem de se deslocar a pé, recebea escolta de homens fortemente armados. Segundo amigos, um outro carro da PM cuida da proteção da família.Além de achar que não precisava de escolta,em dezembro Machado Dias dispensou a companhia do motorista João Araújo, de 45 anos. "Ele passou a usar o carro particular. Era hábito dele andar só", disse Araújo, dublê de "motorista esegurança", que só soube do crime pela TV.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.